Lençóis

Lençóis faz parte da segunda leva de cidades filhas das descobertas das lavras na Bahia. A primeira onda buscou ouro no século XVII em Rio de Contas e Jacobina, enquanto a era dos diamantes começou em 1844.
Tantas as pessoas correram para a região que não havia como construírem casas: as tendas toscas eram feitas com lençóis na beira do rio, daí o nome de batismo da cidade. Pouco mais de um século depois, as lavras se esgotando, a pequena Lençóis ficou meio que parada no tempo, até ser novamente vista como preciosa, agora por sua natureza. Incontáveis cachoeiras, lindas cidades vizinhas, montanhas com feições esculpidas ao longo das eras geológicas.

Há um sem-fim de atrações para visitantes de todos os tipos. Desde os trekkers – o trekking do Vale do Paty é considerado um dos melhores do mundo – até os que gostam de caminhadas leves. Para todas as pessoas Lençóis oferece inesquecíveis  visões da natureza, e muita água nos rios de lajedos cor-de-rosa em um sem-fim de banhos e prazeres.

Além das belezas naturais, Lençóis oferece ainda um circuito de museus e galerias que valem a pena serem visitadas. Isso sem falar no festival de inverno que acontece todos os anos em agosto/setembro em Lençóis com intensa programação de shows, exposições e happenings culturais.

Circuito dos artistas de Lençóis
Dias mais calmos e não menos interessantes podem ser passados no percurso dos ateliers dos artistas de Lençóis que as vezes até organizam cursos e aulas esporádicas para os visitantes.

  • Atelier de Alcino Caetano: Cerâmicas e porcelanas pintadas `a mão.
  • Atelier de JC: Ceramista de esculturas e painéis finalizados com pigmentos naturais


História de Lençóis

A cidade de Lençóis surgiu em meados do século XIX com a descoberta de muitas jazidas de diamantes na região da cidade de Mucugê.

A tradição oral, levantada não se sabe por quem, dá conta de que, por volta de 1844  um personagem, de existência não confirmada, chamado Casusa Prado e o seu escravo teriam vindo do Mucugê para descobrirem diamantes. Segundo o relato, o escravo extraiu muitas gemas e seu senhor mandou o pagem vendê-las em Chapada Velha. Ali, o homem foi preso sob a alegação de ser um ladrão de estrada (é razoável supor que foi torturado para revelar a origem das lavras).

No entanto, a notícia teria disparado uma "corrida do diamante" rumo a esta Lavra nova. Desse modo, diz-se que quem chegasse por último poderia ver, de cima da serra, os tetos das barracas estendidas lá em baixo, como se fora uma cidade de lençóis. A notícia da descoberta propagou-se e para a localidade onde seria Lençóis afluíram logo aventureiros de toda a parte da Província (atual estado da Bahia): seja gente de condições baixas, seja gente de linhagem e de grandes recursos, inclusive numerosa escravatura, mas todos com o mesmo ideal.

O nome Lençóis

Consta (não se sabe onde) que o nome da cidade de Lençóis vem dos lagedos por onde o rio passa espumando, serra abaixo. Diz-se que se parece um lençol bordado ou rendado. Essa visão era obtida, principalmente, pelas pessoas que chegavam por cima da serra do Sincorá.

Fonte: Wikipedia

Entrada da Cidade